Outubro 10 2015 2Comentários
capa

Vegan Fest Alicante 2015

queijo vegan

Este ano, há semelhança do ano passado, tive a possibilidade de ir ao Vegan Fest de Alicante.
Este ano foi a segunda edição do festival, com algumas alterações / melhorias significativas. A maior foi a passagem de um para dois dias.
arte

O primeiro dia foi preenchido por conferências, workshops, projecção de vídeos, concertos, lindy-hop, concursos e uma área infantil. O motivo principal pelo qual fui até Alicante foi para assistir às conferências e tentar aprender mais sobre veganismo e as suas vertentes, por isso dei grande valor às palestras do primeiro dia mais direccionadas à protecção animal, feminismo, especismo e nutrição.

electronic

Das conferências que assisti posso destacar a apresentação do livro Refugiados pela editora independente 824 e pela fundadora do santuário Wings of Heart Laura. Como sigo a página do santuário desde algum tempo e após ter lido o livro fiquei ainda mais comovida com a dedicação que Laura e Edu dedicam a todos os habitantes do santuário. Ao falar dos habitantes resgatados Laura mostrou uma grande força, assim como quando referiu as lutas diárias que travam, não só economicamente, mas também das leis que bloqueiam os resgates. Um dos casos que Laura referiu foi a proibição que tem de recolher animais considerados de “quinta” para cuidar, ao recolher os animais, mesmo que se encontrem moribundos, a lei (espanhola) os animais só podem ser recolhidos com a autorização dos proprietários, muitas vezes a guardia civil é chamada e as multas podem ser avultadas. Outra das questões que foram levantadas e a necessidade de manter relações cordiais com os exploradores de animais, para que não sejam levantados tumultos que possam colocar em causa o papel dos santuários.

santuario-wings

Da parte da tarde assisti a conferência de Catia Faria sobre feminismo e veganismo. A conferência falou de temas que, apesar de não conhecer muito bem, deixaram-me curiosa e com vontade de aprender mais. Catia colocou uma questão pertinente “será que se pode ser feminista e especista”? Qual o paralelismo entre o sexismo e especismo? Não tive oportunidade de falar com Catia Faria é apenas quando cheguei é que soube que é estudante de doutoramento na Universitat Pompeu Fabra e investigadora associada do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, mestre em Ciências Cognitivas pela Universitat de Barcelona e Licenciada em Filosofia pela Universidade do Porto.

A última conferência foi de Eneko Pérez com o tema Liberation Animal: lucha y compromisso. A conferência focou-se não só no veganismo, mas em tudo o que nos rodeia, que tipo de sociedade vivemos, que interesses temos e o que estamos dispostos a fazer pela luta animal (não humano).

PA030034

Entre as conferências passei pelas banquinhas onde além de venderem produtos, também informavam. Não eram apenas bancas de alimentação, mas também estavam presentes os santuários Compasión Animal e Wings of Heart, a editora Ochodosquatro  Ediciones, Únion Deportiva Vegana (que fez uma palestra no dia 4), Black Fish, Anima Naturalis, entre outras.

vegan-rock

Os restaurantes presentes vinham de vários pontos de Espanha e vendiam todo o tipo de comida, desde hambúrgueres, comidas do mundo, sanduíches, bolos e sobremesas, a escolha era muita.

banquinha

Paralelamente havia um sem fim de actividades, com muitos concertos de bandas rock sempre a animar o festival.
Espero voltar a próxima edição.

recordacoes

proteína vegan

2 comments

  1. Um mundo a descobrir

    Responder
  2. Olá! Fiquei super entusiasmada!! Sabes se vai haver este ano, onde e quando? Estou a tentar mudar a minha alimentação, cada vez me custa mais comer animais. Tenho estado a fazer a transição e cada vez gosto mais deste estilo de vida! Beijinhos e obrigada!

    Responder

Escreva uma resposta ou comentário