Maio 07 2021 0Comentários

“Mamã, sou vegan” e agora?

ovo vegan

Há uns dias, durante uma ida a uma superfície comercial, conversava com a minha Mãe sobre as mudanças que aconteceram na indústria alimentar nos últimos anos. Falávamos sobretudo da oferta de produtos que hoje encontramos em qualquer supermercado e recordávamos o passado.

Actualmente, ir a uma loja já quase não implica esmiuçar os rótulos à procura de ingredientes estranhos: grande parte das marcas exibe orgulhosamente o símbolo V-Label (atenção que existem 2) ao passo que outras se identificam como 100% veganas.

Em 2004, comprar tofu ou seitan implicava uma ida ao Porto, à Loja Chinesa, uma mercearia centenária que vendia produtos alternativos, e as opções eram poucas e não muito saborosas. Bebidas vegetais, existiam a Alpro e outras marcas com preços absurdos, mas conseguimos dar a volta com a máquina de leite de soja.

Ir ao Porto representava trazer as compras para um mês, mas timidamente começaram a aparecer nos supermercados algumas alternativas vegetarianas para além da soja granulada, com sabores que faziam fugir muita gente. Mas estes foram os tempos em que consegui manter uma alimentação vegetariana mais saudável (vou chamar-lhe assim). Nesta altura não existiam processados e a minha alimentação baseava-se mais em alimentos integrais, legumes, leguminosas e cereais.

Quando viajava para fora do país, deliciava-me com a oferta de produtos vegetarianos que havia em lojas e restaurantes, e não imaginava que em pouco tempo pudesse haver uma explosão destes produtos em Portugal!

Agora, além das lojas especializadas em produtos vegetarianos, as marcas brancas já criam produtos plant based (à base de plantas) e instruem os colaboradores para que utilizem a palavra vegan. Os restaurantes já servem refeições equilibradas para vegetarianos, os produtores de bebidas espirituosas já começam a ter cuidado na escolha dos produtos para que sejam adequados a vegetarianos…

Vivemos uma época de ouro, e era isto que eu comentava com a minha Mãe: se ela imaginava que um dia seria tão fácil ser vegetariano em Portugal.

Vego

Escreva uma resposta ou comentário