Novembro 18 2016 5Comentários
banner

Ser Vegano? Como começar?

queijo vegan

O veganismo está a crescer cada vez mais, havendo cada vez mais pessoas que optam por este estilo de vida mais saudável e natural, livre de sofrimento animal. Como ser vegano é das perguntas que mais me colocam.

Mas o que é o veganismo e como me posso tornar vegan?
Não existe uma formula mágica para nos tornarmos veganos, mas são os pequenos gestos que começamos a fazer que mudam a nossa percepção do que realmente se passa à nossa volta. Ser vegan não é um fim, mas um meio para conseguir acabar com a exploração animal, eliminando da nossa vida o máximo de produtos que possam ser susceptíveis de ter causado dor e sofrimento desnecessário.

Para nos tornarmos veganos apenas precisamos de ter força de vontade e um desejo forte de mudança pessoal. O ideal seria cortar com todos os produtos de origem animal num só dia, mas poderá ser uma utopia. O meu percurso foi feito por etapas e apesar de hoje achar que deveria ter sido mais rápido, sei que estas etapas que fiz me ajudaram a construir, fortalecer e saber que nunca irei olhar para trás.

Ao tomar consciência do que a maioria de nós (humanos) considera comida é fácil deixar de comer e de usar produtos que contenham qualquer tipo de ingrediente de origem animal. Não achei difícil deixar de comer carne, não senti qualquer tipo de pressão por parte das pessoas que me são mais próximas. Encarei com naturalidade e assim estive durante algum tempo, mas mantive o peixe e o marisco no prato. Aos poucos fui aprendendo a realidade da pesca, os anzóis, as redes de pesca e a destruição que está a causar ao oceanos. Foi aí que deixei o peixe de vez, mantive apenas (por uma questão de comodidade) os ovos e o queijo (vegetariana). Deixar de consumir ovos e queijo (já não bebia produtos lácteos nem iogurtes), foi a parte mais simples, de um dia para o outro deixei-os e o que tinha no frigorifico ofereci.

Este percurso pode ser fácil quando temos apoio, mas sei que muitas pessoas que me contactam tem receio pelas limitações que tem, quer seja dos parceiros ou dos pais, que podem considerar o veganismo como “uma fase” ou uma “tontice”. O ideal será mesmo tentar dialogar e apresentar todos os motivos pelos quais querem ser veganos. Nem todos os veganos começam pela libertação animal, há muitos veganos que começam porque querem seguir uma alimentação mais saudável, querem ter uma performance melhor no ginásio entre outros. Mais cedo ou mais tarde acabam por se tornar activistas pelos animais, uma vez que não são dissociáveis. O importante é tentar fazer, sempre, uma alimentação equilibrada para que não surjam carências alimentares e que as pessoas à nossa volta de apercebam que estamos bem e assim conseguimos ter força para continuar a nossa jornada.

Actualmente é muito fácil encontrar produtos vegan em lojas virtuais e nos supermercado, por isso é ainda mais fácil veganizar as receitas que estamos habituados.

proteína vegan

5 comments

  1. Estou a acompanhar o seu blogue com muito interesse, agradecendo a partilha da experiência e de sugestões porque por razões de saúde,( problema renal), fui forçado a alterar a minha alimentação de forma faseada.
    Já aboli definitivamente quase tudo o que seja proteína animal e laticinios.
    Vou continuar a acompanhar as suas preciosas sugestões.
    cumprimentos

    Responder
    1. Obrigada António. Tentarei colocar mais receitas e maneiras de substituir os produtos de origem animal =)

      até breve

      Responder
  2. Olá. Muito obrigada pelo seu blog. No meu caso, tornei-me vegana após um ano de dar o primeiro passo. Deixei primeiramente de consumir carne e passei a consumir apenas ovos de produção biológica. Seis meses depois, deixei de consumir peixe e marisco. Gradualmente substitui o leite, a manteiga e o queijo animal pela versão vegetal. Substitui também o mel pela geleia de arroz ou agave e, por fim, deixei de consumir ovos . De saúde, sinto-me muitíssimo melhor, física e mentalmente. Viver e deixar viver! E, apesar de todas as noites deitar a minha cabeça na almofada com o sabor amargo da chacina diária dos animais, valha-me a consciência leve de que não é por mim. Ou ainda sendo em pequena parte. Infelizmente os produtos à base de animais estão em todo o lado, não se restringindo à alimentação. Encontramo-los desde a cosmética aos preservativos. E não esquecendo artigos em lã e seda. O calçado. E tantos outros. Mas não tenho dúvida de que é este o caminho. Vamo-nos adaptando e substituindo uns artigos por outros. E estando cada vez mais atentos.
    Desejo-lhe muitas felicidades, parabéns pelo blog e boa caminhada vegana.
    Paula

    Responder
    1. Olá Paula :)

      Obrigada pelo testemunho. Fico muito feliz por saber que cada vez somos mais e que a tomada de consciência está a crescer em toda a parte.

      beijinhos e até breve

      Responder
  3. Post muito interessante

    Responder

Escreva uma resposta ou comentário