Outubro 01 2015 1Comentário

Refugiados – Animais resgatados de quintas, matadouros e outros locais de opressão

comsética vegan

O livro Refugiados – Animales Liberados de Granjas, Mataderos y Otros Centros de Opresión da autoria de Tras Los Muros, não poderia estar mais actualizado, com a situação que vivemos na Europa, com a chegada de milhares de Refugiados sírios, que procuram abrigo.

O propósito do livro não é contar histórias felizes, nem fazer dos santuários um local idílico de felicidade, onde os humanos podem fazer retiros e passar algum tempo com os animais não humanos. Ao contar as histórias dos animais não humanos que encontraram paz, refúgio e abrigo no santuário, somos também chamados à realidade sobre o trabalho desempenhado por Edu e Laura (santuário wings os heart), que todos os dias lutam contra as dificuldades e adversidades que encontram ao cuidar dos animais que ali vivem.

polluela

Basta observar um habitante livre num santuário, para perceber as marcas que ele transporta, da sua vida até ter sido resgatado. As marcas de dor e exploração estão presentes e desenhadas nos seus corpos. Ao passar as histórias de cada um deles cá para fora, ao tomarmos conhecimento do que cada um deles passou até ser resgatado, podemos fazer uma introspecção e perceber que a mudança de paradigma está em nós.

Quando um animal chega a um santuário, por norma chega sempre debilitado, quando o seu valor comercial foi reduzido, que mantê-lo vivo já não é rentável e a indústria opta por descarta-lo. Quando um animal é resgatado é porque alguém soube da sua história, houve uma empatia social ou foram encontrados em locais deixados para morrer (como no caso de Sergio). Nenhum animal entra num santuário pelo seu próprio pé e de livre vontade. Ao acolher estes animais, os santuários dão-lhes o devido valor, cada animal vive com o seu propósito de liberdade e com o máximo de comportamento natural de cada um. Os animais não são explorados como recursos, mas ensinam-nos a relacionarmo-nos com eles. Esta convivência ensina-nos a respeitar a liberdade de cada indivíduo, valorizar os seus interesses e necessidades de igual para igual, sem que a espécie seja um critério na hora de tomar decisões.

refugiados

O valor didáctico que as suas biografias são afirmações firmes contra a indústria que persiste em perpetuar a sua exploração, cada habitante tem um rosto, cada habitante tem um nome, cada habitante tem uma história.

A exploração animal que tem sido criada ao longo dos séculos, o encarceramento, a amputação, a eliminação, a separação forçada, a selecção genética, não só mutilou os corpos dos animais, como também o seu espírito. Mas pontualmente começamos a assistir a momentos de resistência protagonizados por eles que funcionam como indicadores que uma nova revolução está a chegar. Estes momentos podem ser observados em animais que são brutalmente utilizados em trabalhos forçados que se recusam trabalhar, porcos que escavam para tentar fugir, tigres que atacam os domadores e até fugas colectivas em jardins zoológicos. Mas por cada animal que se revolta, milhares continuam a viver num regime de violência e submissão, sem que os agressores sejam culpabilizados.

A vida encarcerada que os animais vivem faz com que muitos se automutilem, o stress, a dor, o confinamento torna-os violentos e atacam-se uns aos outros. Os seus gritos, a sua dor e as suas feridas ficam sempre do outro lado da parede. Nós, que temos conhecimento do que se passa temos a obrigação de partilhar e divulgar a mensagem para que mais gente conheça o que realmente se passa e esse é o propósito de Tras Los Muros.

cerdo

Ao longo da história de exploração animal, foram criados vários mitos que se encontram muitos enraizados na nossa cultura. Retirar dos animais não humanos qualquer propósito ou valor, ao contrário do que atribuímos aos nossos animais de companhia está bem presente. A maior parte acredita que os animais apenas têm um propósito, que é o de servir os humanos. Está na altura de mudar o pensamento e atribuir aos animais não humanos valor próprio.

As imagens captadas são uma arma muito poderosa contra a indústria de produção animal. O impacto das investigações já começa a dar frutos e o impacto negativo já levou a alguns países a criar a “lei da mordaça” (ag gag) que proíbem e penalizam legalmente quem capturar imagens nestes lugares. Estas leis classificam aqueles que são apanhados como ecoterroristas e querem que os activistas sejam classificados como terroristas. Na Europa o caso mais gritante aconteceu em 2011, quando 12 activistas espanhóis foram capturados sob a acusação de pertencerem à Frente de Libertação Animal (ALF). As irregularidades e a falta de provas levou a que o caso fosse arquivado após 7 anos, mas deixou uma porta aberta para a penalização de quem luta para mostrar o que está por trás do que muitos consideram “comida”.

wings-of-heart

Com foco no santuário Wings of Heart, podemos aprender o que é um verdadeiro santuário. O santuário não é um lugar de lazer ou de férias, é um local de muito trabalho que apenas é possível com o esforço de Laura, Edu e dos seus voluntários. Os habitantes do santuário precisam de cuidados continuados, muitos chegam muito debilitados, descartado pela perda do seu valor comercial.

Os retratos e as histórias que acompanham as páginas deste livro são uma pequena amostra dos mais de 300 animais que foram acolhidos em apenas 5 anos de existência do santuário, em que alguns habitantes necessitam de cuidados e atenção especial diariamente, como Luna uma burra que após 20 anos de exploração e trabalhos forçados sofreu uma lesão na pélvis que a impossibilita de se levantar sozinha. Todas as manhãs Edu ajuda-a a levantar-se.

Todos os animais do santuário têm marcas profundas, que reflectem o que viveram antes de encontrar refúgio, desde a mutilação dos bicos das galinhas, aos corpos deformados pela demanda de mais carne pelo preço mais baixo, ao desgaste físico, as orelhas perfuradas.

Tras Los Muros procura quebrar a barreira que existe entre uma vida aprisionada e a prateleira de um supermercado.

O livro sairá já no próximo mês de outubro e poderão encontrar mais informação no site: traslosmuros.com

Pode adquirir o livro na loja do Santuário Wings of Heart, seguindo este link

The Humble Co

1 comment

  1. Parabéns pelo trabalho é emocionante saber que existem pessoas como vocês. Obrigado por escolherem reencarnar.

    Responder

Escreva uma resposta ou comentário